Notícias


comunicacao sobre a heraldica do rei D. Duarte

Elementos de uma cultura dinástica e visual: os sinais heráldicos e emblemáticos do rei D. Duarte foi o tema da comunicação apresentada por João Bernardo Galvão Teles, sócio da LMT Abreu Loureiro, Correia de Matos e Galvão Teles, e por Miguel Metelo de Seixas ao Congresso D. Duarte e a sua época: arte, cultura e espiritualidade, que decorreu nos dias 26 e 27 de Janeiro, em Lisboa.

Contextualizado o século XV como um período revolucionário para a heráldica portuguesa, em que esta adquiriu uma função social e uma carga semiótica distintas das que desempenhara antes, foi evidenciada a intervenção da Casa Real mediante a instrumentalização da heráldica ao serviço da centralização do poder régio e da construção de uma nova cultura nobiliárquica.

Usando a heráldica como forma de exibição e propaganda visual dos fundamentos de legitimidade do poder, o reinado de D. Duarte caracterizou-se pela criação dos primeiros meios de interferência régia na heráldica da nobreza e pela construção de um discurso emblemático próprio.

Na comunicação foi salientada, em conclusão, a função da heráldica e da emblemática do rei D. Duarte enquanto instrumentos de propaganda dinástica e da cultura da corte, enquadrados no âmbito mais vasto dos sinais visuais de toda a Casa de Avis.

O Congresso D. Duarte e a sua época: arte, cultura e espiritualidade foi uma iniciativa do Instituto de Estudos Medievais da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa, com o apoio da Direcção-Geral de Arquivos.

lourenco correia de matos fala sobre o uso heraldico das insignias da ordem de nossa senhora da conceicao

Na reunião mensal do Instituto Português de Heráldica, ontem realizada, Lourenço Correia de Matos, sócio da LMT Abreu Loureiro, Correia de Matos e Galvão Teles, apresentou uma comunicação com o título A Ordem de Nossa Senhora da Conceição de Vila Viçosa na heráldica. Esta Ordem foi fundada pelo Rei D. João VI no Brasil, em 1818, e largamente concedida até à implantação da República, figurando por isso a sua insígnia em inúmeros brasões de armas de agraciados. Foram apresentados exemplos, nomeadamente cartas de brasão de armas do período em questão.

Assistiu à sessão o Senhor Conde de Estarreja, Chanceler da Ordem de Nossa Senhora da Conceição de Vila Viçosa, Ordem Dinástica da Casa Real Portuguesa.