Notícias

Constituição 1822

A LMT Consultores em História e Património desenvolveu um estudo genealógico e biográfico sobre um académico e militar, nascido na sétima década do século XVIII e falecido em meados do XIX, sobre o qual apenas havia sucintas notícias nas obras genealógicas ao mencionar, pelo casamento, a sua única filha.

Natural do Alentejo – tinha origens nesta província e igualmente nas Beiras –, doutorou-se em Coimbra e seguiu a vida docente, na Universidade daquela cidade e numa Academia em Lisboa, abraçando em simultâneo a carreira militar, na qual atingiu o posto de brigadeiro. Teve ainda uma breve passagem pela política nas Cortes Constituintes vintistas, tendo como tal assinado o primeiro documento constitucional português. Agraciado com o foro grande da Casa Real e a comenda da Ordem de Cristo, teve carta de brasão de armas dos seus apelidos. Morreu solteiro deixando uma única filha natural – legitimada por carta régia –, que foi sua herdeira universal.

A investigação realizada pela LMT Consultores em História e Património permitiu ainda desvendar a sua ascendência até aos trisavós por todas as linhas, bem como revelar vários dados sobre a sua família próxima, nomeadamente os irmãos e respectiva descendência, e apurar diversos elementos biográficos e patrimoniais.

Nas imagens: Constituição Portuguesa de 1822, jurada e assinada por D. João VI, depositada na Torre do Tombo.

Constituição 1822a

Constituição 1822b

 

IMG 9791

Lourenço Correia de Matos, sócio da LMT Consultores em História e Património, apresentou no passado dia 16 de Abril uma comunicação intitulada A Ordem Constantiniana de São Jorge e as Ordens do Reino das Duas-Sicílias, no VIII Seminário Internacional de Falerística da Sociedade de Geografia de Lisboa, co-organizado pela Secção de Genealogia, Heráldica e Falerística e pela Secção de Estudos do Património.

Sob o tema História, Memória e Património da Casa Real das Duas-Sicílias, o Seminário decorreu no auditório Adriano Moreira, sendo presidido por S.A.R. o Senhor D. Pedro de Borbón-Duas Sicílias, duque de Calábria, chefe da Casa Real das Duas-Sicílias, e abertos os trabalhos pelo presidente da Sociedade de Geografia de Lisboa, Luís Aires-Barros.

Na comunicação, Lourenço Correia de Matos apresentou a história multisecular da Ordem Constantiniana de São Jorge e também das restantes ordens do antigo reino das Duas-Sicílias: São Januário, São Fernando e Mérito, São Jorge da Reunião e Francisco I. Acompanhou a exposição com inúmeras imagens de insígnias, retratos e documentos, procurando sempre estabelecer a relação destas ordens com Portugal, referindo diversos portugueses agraciados pelos monarcas napolitanos.

Cartaz SGL 16 Abril 2019